FIA: auxílio para crianças e adolescentes em risco social e econômico

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

Sem dúvida, as crianças e adolescentes são a porção mais vulnerável da população. Por isso mesmo que existem diversas leis e políticas públicas instituídas para garantir sua proteção. E, considerando que é necessário um esforço conjunto de toda a população para que essas políticas sejam válidas, também existem diversos incentivos fiscais para quem deseja participar.

Um dos maiores exemplos disso é o Fundo da Infância e Adolescência, ou FIA. Trata-se de um conjunto de recursos destinado a estudos e atendimento de crianças e adolescentes expostos à situação de risco pessoal e social. Com esses recursos, é possível diagnosticar mais a fundo problemas sociais que afetam esse grupo, além de financiar projetos que atuem na garantia da promoção, proteção e defesa dos direitos da criança e do adolescente. Em troca, os contribuintes geralmente recebem como benefício um desconto no Imposto de Renda.

Acompanhe e entenda melhor como o FIA funciona e como você pode contribuir também.

Como surgiu o Fundo da Infância e Adolescência?

Em 1990, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) previu a criação de Fundos Especiais nos âmbitos federal, estadual e municipal. Esses recursos seriam ligados aos Conselhos de Direito da Criança e do Adolescente (CMDCA) correspondentes e seriam destinados a outros programas com o objetivo de promover a inclusão social, educação e prevenção de crimes em crianças e adolescentes. Esse é o FIA, destinado ao diagnóstico e à intervenção em situações de risco e na promoção de qualidade de vida e oportunidade para criança e adolescente.

Como ele funciona?

Quando uma pessoa física ou jurídica faz uma doação ou outro tipo de contribuição para o Fundo da Infância e Adolescência, podem receber como incentivo um desconto no Imposto de Renda declarado. Para pessoa física, esse desconto pode ser de até 6% do total, mas apenas para aqueles que declaram no modelo completo.Para pessoa jurídica que declara pelo lucro real, o desconto pode ser de até 1%.

  • Como contribuir com o FIA?

O tipo de incentivo oferecido ao Fundo da Infância e Adolescência pode vir na forma de contribuição financeira direta, fornecimento de bens materiais ou de imóveis. Porém, para que a doação de bens seja realizada, há alguns critérios específicos para pessoa física e jurídica.

– Pessoa Física

Se você quer doar para o FIA como pessoa física, deve atender aos seguintes requisitos:

  • Comprovar a propriedade de todos os bens doados com documentação adequada;
  • Dar baixa em todos os bens doados em sua declaração de bens e direitos;
  • O valor dos bens doados deve constar com o valor que consta na última declaração de IR ou o valor de mercado, o que for menor;
  • Se o bem for leiloado com determinação de autoridade jurídica, então o valor de venda será considerado como doação. Caso não seja determinado por autoridade jurídica, esse valor é desconsiderado.

– Pessoa Jurídica

Já para pessoa jurídica, os critérios são:

  • Comprovar a propriedade de todos os bens doados com documentação adequada;
  • Dar baixa em todos os bens doados em sua declaração de bens e direitos;
  • Considerar o valor contábil dos bens como valor doado;
  • Se o bem for leiloado com determinação de autoridade jurídica, então o valor de venda será considerado como doação. Caso não seja determinado por autoridade jurídica, esse valor é desconsiderado.

Quer continuar recebendo mais informações? Então assine nossa newsletter e acompanhe tudo em primeira mão.

Veja mais projetos